Meu filho não está se alfabetizando e agora?

O início da alfabetização é um marco na vida das crianças. Como num passe de mágica, elas começam a juntar as letras para então ler e escrever suas primeiras palavras. Mas, na verdade não há mágica e o processo de alfabetização pode ser desafiador. Não é incomum que surjam dificuldades, podendo estar relacionadas a diversos aspectos relacionados à criança, sua família, metodologia de ensino e aspectos socioculturais.

Diversos fatores podem influenciar o processo de aprendizagem, incluindo:

  • Atraso na aquisição de linguagem
  • Baixa assiduidade
  • Comprometimento sensorial
  • Dificuldades socioemocionais
  • Fatores socioeconômicos
  • Histórico familiar de dificuldades de aprendizagem
  • Alterações auditivas
  • Alterações no processamento auditivo central

A aprendizagem da leitura e da escrita, depende da interligação de diferentes áreas cerebrais, que irão processar informações auditivas e visuais para se conectar às áreas da linguagem e de memórias sensoriais. Para a aprendizagem da leitura  e da escrita é necessário, primeiramente, compreender os sons das palavras e analisar as mínimas partes que as constituem (fonemas) para, em seguida, associá-los às letras. Deste modo, é possível perceber que a informação auditiva é fundamental para esse processo de aprendizagem.

 

Os problemas de aprendizagem podem ser decorrentes de fatores externos à criança, como aqueles citados acima, relacionados à proposta pedagógica da escola, baixa assiduidade e aspectos referentes à família. Essas dificuldades podem ser transitórias e tendem a ser superadas com ajustes na dinâmica escolar ou familiar. Já as causas relacionadas a transtornos de linguagem e aprendizagem ou que decorrem de patologias como déficits cognitivos, sensoriais ou ligados a quadros neurológicos, devem ser encaminhados para o tratamento específico e poderão se beneficiar com ações direcionadas por uma equipe multiprofissional.

É importante que pais e professores estejam atentos às dificuldades, para intervir o quanto antes, considerando que em alguns casos as dificuldades podem estar ligadas a transtornos de aprendizagem, como dislexia e discalculia. Além disso, a detecção precoce permite a correta orientação e  intervenção capazes de minimizar as dificuldades comunicativas e o desempenho tanto no âmbito escolar como nas relações sociais. 


Neste processo, você pode ajudar propondo atividades relacionadas ao processo da alfabetização, como a estimulação das habilidades auditivas, por exemplo. Essa estimulação pode ser feita de diversas maneiras, por meio de treinamento auditivo com sons diversos e a partir do uso de jogos criados especificamente para esse objetivo, como os disponíveis na plataforma Afinando o Cérebro. Você pode ainda ler para seu filho, bem como estimular a leitura e a escrita e criar um ambiente de alfabetização em casa, com elementos visuais que remetam às letras por meio de brinquedos, revistas ou álbuns de fotografia. Coisas simples como preparar uma receita culinária na presença da criança, ler os rótulos das embalagens, escrever um convite de aniversário ou fazer a lista de compras do supermercado fazem com que a criança mantenha contato com a leitura e escrita de forma natural.

Se o seu filho está apresentando muita dificuldade nesta fase de alfabetização é importante que ele seja encaminhado ao oftalmologista, otorrinolaringologista, fonoaudiólogo ou psicopedagogo para investigar quais são os fatores podem estar contribuindo para o insucesso na alfabetização e qual a melhor forma de tratá-los.

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados